Cheiro Bom Cheiro Ruim: Em busca do olfato perdido

Perceber os odores é fundamental para a qualidade de vida. É pelo olfato que o bebê encontra o seio da mãe. O que fazer quando o olfato enfraquece ou desaparece?

SHEILA LOBATO

Para grande parte dos animais, o olfato é o mais importante dos sentidos.
Para os humanos, ele não é menos primordial. Sentir o cheiro das coisas é tão importante que somente nos damos conta disso quando nosso olfato, por alguma razão, desaparece. Na maioria das vezes esse processo é lento e a pessoa nem percebe que está perdendo um sentido tão importante. Ao se desconfiar disso, deve-se procurar o médico. Não há tratamento clínico específico, mas um treinamento para recuperação do olfato que ele pode prescrever.

No exame clínico, o médico passa sob o nariz do paciente tiras de papel com cheiro e sem cheiro e pergunta quantos odores diferentes ele sentiu.
Pelas respostas, constata se o paciente está sentindo bem ou mal os cheiros.
O olfato pode desaparecer por traumatismo craniano, tumores na cabeça, cirurgias no cérebro, inalação frequente de substâncias tóxicas e certas disfunções orgânicas que afetam o funcionamento dos órgãos sensoriais.

Uma equipe de especialistas franceses liderada por Thomas Hummel desenvolveu um treinamento em que o paciente cheira frascos com diferentes odores duas vezes por dia, de manhã e à noite, durante pelo menos quatro a seis semanas. Depois desse tempo, o olfato começa a voltar na maioria dos casos. Os que não melhoram são submetidos a um tratamento mais intenso na clínica, com várias sessões de múltiplos cheiros e testes repetidos à exaustão.

Este sentido tem uma particularidade que a visão e a audição não têm: ao contrário das células oculares e auditivas, as olfativas se regeneram.
O treinamento estimula as células nervosas e o centro cerebral responsáveis pela transmissão e processamento da informação vinda das narinas.
É por isso que nosso nariz pode ser treinado para detectar odores, como os de perfumes e bebidas, um trabalho muito bem remunerado nas grandes indústrias do setor.

O custo do tratamento resumese ao médico e aos frasquinhos de vidro ou plástico contendo fitas de gaze com odores estimulantes.
Às vezes, o olfato do paciente volta sem nenhum tratamento.
Em 10% a 20% dos casos, a volta ocorre antes ou muito depois da média. Alguns casos são hereditários e não têm cura. Outros se devem à idade muito avançada e também não têm cura. No restante, a reabilitação se dá entre quatro e seis semanas.

O olfato é fundamental para a qualidade de vida. Sentir a fragrância das flores, o cheiro de sua comida predileta, o perfume da pessoa amada é parte essencial dos prazeres da vida. Sentir o cheiro do gás vazando do fogão ou do peixe que está se estragando é essencial à preservação dela. É pelo olfato que o bebê encontra o seio da mãe e é pelo cheiro da fumaça que fugimos do incêndio enquanto é tempo.

Mas, apesar de tão importante, pouco mais de 5% das pessoas não sentem cheiro nenhum. Sofrem de anosmia, um mal hereditário.
E uma a cada quatro pessoas após os 60 anos também.
Nessa idade, é importante prestar atenção não só à audição e à visão, mas ao olfato. O cheiro vem sempre de um gás. Quando se está cozinhando, o cheiro que se sente é dos gases do alimento e dos temperos liberados pelo calor. Moléculas desses gases entram nas cavidades nasais e as células olfativas localizadas nas mucosas, dotadas de cílios minúsculos, absorvem as partículas de gás.

O nervo olfativo e o nervo trigêmeo levam a sensação ao centro cerebral responsável pelo olfato.O primeiro transporta os odores mais puros, enquanto o trigêmeo transmite mais as sensações desagradáveis, como os cheiros amargos e picantes – por exemplo, do amoníaco e das cebolas.
No cérebro, as sensações são identificadas, classificadas e arquivadas.

É assim que sabemos que um determinado cheiro é de um alimento ou de outro, de uma flor ou de outra, do nosso marido ou da nossa mulher – ou de outros -, da roupa de cama limpa, do bolo de chocolate assando no forno, do cheiro do campo, do mar, do peixe estragado, do estrume do gado e outros.

O ser humano pode distinguir mais de 10 mil cheiros diferentes.
Cada um tem sua própria representação em nosso cérebro, conforme a impressão que nos causou. A maioria dessas impressões é coletada quando temos entre 0 e 3 anos de idade, mas nunca paramos de aprender.
E muitas são eminentemente pessoais: um cheiro pode ser de alguma coisa para um e de outra coisa para outro, pode evocar uma coisa boa para um e má para outro.

Este sentido tem uma particularidade que a visão e a audição não têm: ao contrário das células oculares e auditivas, as olfativas se regeneram

Algumas pessoas perdem o olfato antes de surgirem doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson. A perda do olfato é, com frequência, um aviso de mal de Parkinson. O tratamento depende da causa identificada. A retificação do septo nasal é um caso frequente,pois o desvio do septo é uma causa comum de perda do olfato.

Pólipos no nariz também provocam a perda de olfato e podem ser retirados por cirurgia. O diabete não tratado ou tratado inadequadamente também pode ocasionar a perda de olfato, e a recuperação virá com o tratamento efetivo do diabete. Uma gripe tem o mesmo efeito, e o olfato volta depois que é curada.

São raros os casos de anosmia por hereditariedade e quando ocorrem, em geral, afetam as mulheres. São comuns, porém, os casos em que a perda se deve a uma pancada na cabeça, por acidente, queda ou agressão.
Uma pancada forte na parte de trás da cabeça repercute violentamente na parte da frente e pode romper o nervo olfativo, que fica logo atrás da testa

Nos treinamentos de recuperação, pode-se fazer um programa para recuperar primeiramente o nervo trigêmeo e depois o olfativo.
Nesse caso, o paciente receberá para cheirar recipientes contendo os cheiros mais fortes e desagradáveis, como os do amoníaco, da cebola e do alho.
As células reagem ao estímulo multiplicando- se e levando mais informação ao trigêmeo, que por sua vez é estimulado a funcionar mais ativamente.
Nas sessões de treinamento, repetem-se 30 ou 40 vezes os mesmos exercícios. Entre uma sessão e outra, o paciente deve fazer exercícios em casa.

Há muitos casos em que a perda do gosto se deve à perda do olfato. A pessoa se queixa de que não sente mais o gosto de nenhum alimento e o problema não está nas células gustativas, mas nas olfativas.
O olfato está intimamente associado à degustação e é um fator dominante: sem o olfato, é impossível sentir o gosto real das coisas. O sabor de um abacaxi, por exemplo, depende da interação entre o gosto e o olfato. Sem o aroma, o abacaxi pode ser doce ou ácido, mas não é abacaxi. E assim com qualquer fruta, que será somente doce ou ácida se o olfato for suprimido. Os centros cerebrais da emoção e da memória também atuam em conjunto com o do olfato. Por isso, certos cheiros evocam lembranças de fatos ocorridos há muito tempo em nossas vidas, ou coisas que até já esquecemos, mas ficaram em nosso subconsciente. E, como esses fatos deixaram impressões em nosso centro de emoções, certos cheiros despertam emoções boas ou ruins.

O olfato é , dos nossos sentidos, o mais antigo e o mais ligado às emoções. Quem não se lembra do cheirinho de pão assando no forno da vovó quando vai à padaria comprar pão para o café? E do próprio café, quando na fazenda de sua infância espalhavam os grãos pelo sequeiro e depois o levavam para torrar? Sem essas lembranças, evocadas por aromas fugidios e sutis, uma parte de nossa história é perdida para sempre. O sabor de momentos que gostaríamos de reter como parte de nossa intimidade se vai. Pessoas depressivas têm o olfato menos desenvolvido que pessoas não depressivas, segundo pesquisas realizadas pela psicóloga francesa Bettina Pause.

Não se sabe se isso é causa ou consequência, mas 75% dos pacientes que procuram a clínica de Thomas Hummel sofrem de alguma forma de depressão. Ainda não se sabe se ou quantos se curam da depressão depois de recuperarem o olfato. Mas que vale a pena recuperar o olfato perdido, ninguém duvida.

Fonte: Revista Planeta – http://www.terra.com.br/revistaplaneta/

  • maria rosa mengod

    Preciso de ajuda, quero contar o que acontece comigo, como posso ir a essa clínica, qualquer informação é muito importante para mim, me ajudem por favor!!!

  • Anna Mengod

    Artigo de muitissima importância para mim por ter uma irmã que perdeu o olfato em um acidente, e de lá pra cá vive em extrema depressão, perdeu peso e principalmente a vontade de viver. O problema é que somos de classe média baixa e não temos recursos para viagens e tratamentos demorados no exterior. Gostaia muito de saber se aqui em S.Paulo existe alguem que possa dar esperança a esta pessoa, que ajuda todo mundo, adora animais e tem uma fé em Deus indiscutível. Ela é realmente uma pessoa muito especial para mim e para muitas outras pessoas, e juntos gosaríamos de vê-la ter alegria de viver novamente. Obrigada.

  • http://edneia edneia

    Preciso de ajuda, tem 4 dias que não sinto gosto e nem cheiros de nada o que fazer…é horrivel esta senseção…
    E vale tudo para recuperar om ofato…

  • Cleo Ristau

    Adorei, fazia tempo que estava procurando uma materia que desse uma luz para meu problema , já que perdi o olfato há uns 40 dias e os médicos não resolvem meu problema. Fiz uma TC e deu pólipos e desvio septo.

  • lucia

    ola, faz 4 meses que perdi o olfato e o paladar, ja procurei um otorino e ele pediu o exame larindoscopia, mas nao deu nada.
    foi depois que tomei a medicacao nisulide e decadron nasal.
    O que devo fazer?

  • Rosiane Duarte

    Venho através deste email pedir ajuda, uma orientação para o meu problema.
    Meu nome é Rosiane Duarte, tenho 29 anos. Aproximadamente a dois anos (novembro de 2007) tive uma gripe simples e com esta gripe perdi parte do olfato e paladar. Pensei que pudesse ter sido por causa da gripe e não dei muita importância. Mas o tempo foi passando e percebi que essa perda continuava. Procurei ajuda médica (otorrinos) e comecei tratamento para recuperar o olfato (sentia apenas cheiros fortes) e paladar (só sabia dizer se era doce, salgado ou azedo). Fiz tratamentos com sprays, remédios. Mas não apresentei nenhuma melhora com o tratamento. Em julho de 2008 tive uma forte infecção de garganta (com placas de pus) e fiquei duas semanas bastante gripada. E foi após essa gripe que tive a perda total do olfato (não sinto nenhum cheiro em nenhuma narina, nada) e o paladar continuou da mesma forma (só sei dizer se é doce, salgado ou azedo). Voltei ao otorrino e fiz mais tratamento e nada de consegui recuperar. Mudei de médico para nova opinião. Ele fez alguns testes com cheiro de substâncias diferentes e nenhum resultado. Não sinto nenhum cheiro, nada. Me encaminharam para neurologista e fiz tomografia, fiz ressonância magnética, fiz exame de audição e nada acusou, esta tudo normal. Nada justifica essa minha perda de olfato e paladar.
    Já não sei mais o que fazer e onde pedir ajuda. Me sinto muito encomodada com essa perda de olfato, é algo que tem me atrapalhado bastante. O paladar não me encomoda muito pois ainda tenho alguma percepção, mas o olfato me encomoda muito.
    Por isso peço ajuda. O que posso fazer, tem algum tipo de tratamento, alguém aqui por perto (Belo Horizonte-MG) que possam me indicar? Gostaria muito que me ajudassem. Agradeço desde já pela atenção e aguardo um retorno assim que possível. Obrigada.
    Atenciosamente,
    Rosiane Duarte.
    email: rosianeduarte@yahoo.com.br

  • Talita

    Olá!
    Achei interessante demais a matéria sobre o olfato, bem útil para mim.
    Tenho 17 anos apenas e perdi o olfato já fazem uns 6 meses após um traumatismo craniano. O único cheiro que sinto é de sangue.
    E os médicos nunca podem me falar nada concreto sobre o olfato.
    Sabe algum médico em são paulo? por favor me passe que tipo de médico devo condultar.
    Obrigada!

  • milton

    perdi o olfato a cerca de 4 anos tenho miastenia gravis não sei si essa doença que fez eu perder o olfato o que devo fazer p/ tentar voltar a sentir cheiro desde ja agradeço pela ajuda sou de petropolis rj.

  • vivian vasconcellos albuquerque busch

    tristesa minha gente. parece que os otorrinos não sabem curar “anosmia” e ficm pedindo exames adoiados ao invés de pesquisarem a fundo para poder pelo menos darem um diagnóstico que nos devolva a esperança. em novembro/09 tive uma gripe muito forte.tão logo fiquei bôa perdei meu olfato e paladar.vou fazer TC mas não tenho esperança de ficar bôa porque se o próprio especialista (que penso ter estudado muito) não nos diz nada, não nos mostra pelo menos uma luz no fundo do túnel, quem sou eu que nada entendo para dizer que vou recuperar meu olfato?estou sofrendo muito porque nunca havia ouvido falar nessa doença.mesmo assim vou fazer tudo que estiver a meu alcance mas pelo que já pesquisei e comentários que li, o jeito é mesmo se conformar e seguir adiante.

  • erineuda silva feitosa

    olá,preciso muito de informações à respeito de perca de olfato,pois minha não sente cheiro de nada,já foi ao médico e não deu em nada.por me indique uma clínica da qual possa ajudar minha amiga.

  • carlos italo

    nunca senti cheiro, como posso saber o porque disso?
    será que tem cura?

  • Carlos Rogerio RJ

    estou mais ou menos 2 semanas sem olfato estou ficando muito preucupado mais de 3semanas a 4 deve voltar foi que me deixou mais aliviado vamos ter fé que vai dar tudo certo.

  • CARLOS ORLANDO

    Quanto ao problema de ANOSMIA, eu sofro disso já há 20 anos em consequencia de um acidente de moto. Durante todo esse tempo não tive nenhuma noticia de cura, ao contrário só noticia ruim, o que me deixava muito triste. Ocorre que recente ví na internet sobre um naturalista equatoriano chamado Eloy A.Borja que afirma ter desenvolvido um tratamento que tem curado muita gente. Até que enfim, uma luz no fim do tunel. Se alguém conhecer sobre isso gostaria de saber mais coisa a respeito.

  • osvaldo rodrigues

    Fiz muito inalação para sinusite quando eu era jovem acabei perdendo o olfato, será que alguma de voltar cheirar°?

  • Alex

    Operei pólipos 3 vezes e não sinto mais cheiro nenhum. Será que conseguirei a voltar a sentir cheiro? Esse tratamento já existe no Brasil?

  • Renata

    oi, tmbm me preucupo,pois tive um coagulo no cerebro apos um acidente. por causa da pancada na cabeca perdi o olfato. so sinto o amargo o doce e salgado. é muito dificil para mim.

  • CLÁUDIA ASSIS

    Preciso saber qual médico profissional procurar para
    tratar do olfato.

  • http://57489787 leeh

    qual animal não teeim olfato ?

  • Flávio

    Não me lembro de algum dia ter sentido cheiro, tenho 18 anos e desde pequeno dizem que minto quando falo que não tenho cheiro! Eu penso que sou o unico! sempre aceitei a ideia pelo menos não sinto o fedor da bufa das outras pessoas! mas quando quero sentir o cheiro da namorada, do ambiente, e… de tudo fico pensativo.
    Uns nascem cegos, outros nascem mudos e surdos,
    ” Eu nasci sem sentir cheiro ”
    Será que tem cura?

  • selma

    Tenho sinusite cônica e renite.Mas estou preocupada,já faz uma semana que não sinto cheiro e gosto de nada,não sei o que fazer me de uma resposta por favor perdi até o apetite.

  • http://taguatingaDF maria nazare

    eu perdi pouco a pouco a capacidade de sentir cheiro , e isso me entristetece muito.Tenho 59 anos e tenho buscado sempre ajuda ja fiz muito exames e não encontro uma explicação para isso,pois não tenho desvio nem obstruçao ou lesão alguma. As vezes eu sinto cheiro leve mas sinto. Meu mediconão consegue me explicar o que acontece comigo, então me manda tomar uns tantos remedios que me engordam, e então fico mais deprimida pois acabo conseguindo mais um problema na busca de uma soluçao. se voce sabe de um recurso que possa buscar, me ajudem por favor.

  • Adiléa

    Gostaria se tem cura para Anosmia após uma grande gripe por mais ou menos uma semana. Comecei sentir que coloquei um perfume e não sinto absolutamente nada. O paladar consigo distinguir o sal do doce também.
    Estou muito aflita, o médico que está me tratando da gripe disse que isto voltará, porém nao quero ficar iludida. Sou uma pessoa que não pingo nenhum remédio no nariz. Sou uma pessoa muito alérgica. Tenho 68 anos, faço comida para família e esta terrível, pois nao sinto nada.Se tiver uma resposta ou um recurso que eu possa tratar, ajude por favor.
    Agradecida

  • http://www,tesetmaismeu.webs.br kita

    meu nome é kita, adorei este comentário vejo que tem uma luz no fundo do túnel, tenho perda do paladar e olfato a um ano sou uma pessoa depressiva por causa desse problema, ja fiz tratamento com otorrino tomei varios medicamentos e fiz todos exames exigidos e nao melhorei em nada, peço por gentileza alguem que tem ou passou por esta situaçao que envie para mim o nome da medicação ou do tratamento.

  • Ana

    Tambem sofro do mesmo problema, desde 2003 perdi o olfato devido a alergias constantes, e fiz uma cirurgia de polipos nasais, mas depois de 4 meses da cirurgia, perdi o olfato novamente. Fui em diversos otorrinos e nehum deles me deu explicacoes convicentes ou possiveis tratamentos. Alguns ate chegaram a me dizer que era bom nao sentir mais cheiro e outros que eu nunca mais poderia recuperar minha capacidade. Quando tomo cortisona meu olfato volta durante o tratamento com o medicamento, mas este medicamento nao pode ser tomado durante muito tempo. Acho que faltam medicos preparados para lidar com este problema. Obviamente meu paladar tambem foi afetado. Os medicos simplesmente parecem nao dar importancia a isso.

  • Lucia

    Onde fica essa clinica

  • madalena torres

    MESMO Q O OLFATO TENHA SIDO COMPROMETIDO APOS UM TRAUMATISMO CRANIANO ELE PODE VOLTAR?

  • Irene Bastos Pinto

    No caso de meu irmão, ele sofreu um acidente de moto e teve um traumatismo na face, e até então ele deixou de sentir gostos da comida e cheiro. Após dois meses ele sente um cheiro muito ruim quando a comida está sendo preparada, e sente o gosto das frutas e sucos, seria caso de procurar um médico?obrigada se puderem me responder. 
    Irene

  • JOIA RARA FACE NOVA LIMA

    MEU NOME É IVANILDE MINHA CASA DESABOU DIA 14 DO 12 DE 2011 TIVE 3 TRAUMAS NA CABEÇA NÃO SINTO CHEIRO DE NADA A TODO ESSE TEMPO COMO VOU FAZER…..

  • Maris

    há algum tempo eu tinha dificuldade para sentir cheiros, algumas vezes sentia outras não. Mas há 07 mêses sofri um acidente, tive traumatismo craniano e não sinto cheiro mesmo e isso é tão ruim. O que fazer? tem tratamento natural?

  • nei.c@uol.com.br

    Alguem sabe onde fica esta Clinica na França (Thomas Hummel)
    ja me informei e nada, se alguem souber por favor avise…

  • iolanda

    eu tbm sofri acidente de moto e sinto um cheiro muito esquisito eu sinto cheiro de saige que vei de sendo de dentro do meu narize eu náo sei oque fazer isu tem 10 ano

  • PATRÍCIA MIRANDA

    Fui usuária de cocaína batizada por outras substâncias por dois anos, todos os dias. Hoje faz um ano e 6 meses que não uso mais. Mas, perdi o olfato antes mesmo de abandonar o vício. Será que eu consigo restaurá-lo?

  • wesley vinhas

    eu sofri um acidente de moto ainda esse ano ja faz 8 meses e meu palada ainda nao voltou a o normal ,cinto cheiros enjuativos de comida ,e qundo eu como eu nao consigo saboreaa as cumidas sera q o meu caso tem como reverte,qualquer sujestao ai pessoal me avisa