Facebook fez doações a 83 parlamentares dos EUA que interrogaram Zuckerberg

O Facebook foi alvo de duas grandes sabatinas no Congresso dos EUA na última terça e quarta-feira (10 e 11), com o fundador e executivo-chefe Mark Zuckerberg tendo que responder a horas de perguntas sobre o escândalo da Cambridge Analytica e problemas afins. Mas o curioso da situação é que o Facebook já beneficiou diretamente muitos dos que interrogaram Zuckerberg.

Segundo dados do Centro de Política Responsiva dos EUA, organização de transparência política do país, 83 dos 99 parlamentares americanos receberam doações de campanha do Facebook nos últimos anos. Foram 37 senadores e 46 congressistas beneficiados de 2014 a 2018 de ambos os partidos, republicanos e democratas.

Só 16 dos presentes nas duas sessões não receberam nenhum tostão da rede social de Zuckerberg, que já contribuiu com US$ 7 milhões a políticos dos EUA desde 2006. Deste montante, US$ 4,5 milhões para democratas e US$ 2,3 milhões para republicanos. E US$ 641,6 mil foram só para os senadores e congressistas que fizeram perguntas ao executivo nesta semana.

A situação não pareceu constranger os políticos, pois muitos dos beneficiados pelo Facebook não pressionaram bem Zuckerberg. É o caro do democrata Cory Booker, que ganhou o maior valor do Facebook –US$ 44.025– e perguntou sobre uma investigação de 2016 que denunciava anúncios segmentados por raça no Facebook. Zuckerberg prometeu trazer mais inteligência artificial para combater preconceitos na plataforma.

Kamala Harris, que recebeu a segunda maior quantia –US$ 30.990–, criticou o executivo por que o Facebook não notificou os usuários em 2015 sobre a Cambridge Analytica.

Por outro lado, alguns parlamentares republicanos apontaram uma suposta censura do Facebook a duas blogueiras conservadoras, Diamond e Silk, cujos vídeos teriam sido removidos da plataforma. O Facebook rotineiramente recebe dos republicanos a fama de ser contra seu partido –e de fato, Zuckerberg tinha boa relação com o democrata Barack Obama, mas já teve suas rusgas com Donald Trump.

“O Facebook na está localizado no Vale do Silício, que é um lugar extremamente de esquerda, e estamos nos certificando de que não temos nenhum preconceito no trabalho que fazemos”, resumiu “Zuck” no Congresso, que não chegou a declarar abertamente sua posição.

Assim como no Brasil, empresas podem doar para campanhas políticas nos EUA. No campo da tecnologia, o Facebook certamente não é o único nessa prática: só para termos alguns exemplos, a Amazon já doou US$ 4,5 milhões, o Google, US$ 20,8 milhões, e a Apple, US$ 4,6 milhões nos últimos anos.

Veja abaixo a lista completa dos políticos presentes nas duas sabatinas a Zuckerberg nos EUA e as respectivas quantias que o Facebook doou para eles.

https://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/04/12/facebook-fez-doacoes-a-83-parlamentares-dos-eua-que-interrogaram-zuckerberg.htm

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta