Nikola Tesla (2)

Célio Pezza – Tesla sofria de um mal no qual apa­re­ciam flashes de luz di­ante de seus olhos, acom­pa­nhados de alu­ci­na­ções e vi­sões fu­tu­ristas. Muitas de suas in­ven­ções acon­te­ceram dessa forma, como se ele as ti­vesse re­ce­bido de algum local des­co­nhe­cido. Ele foi um ci­en­tista bri­lhante, mas hoje, apesar de sua ge­ni­a­li­dade, pro­va­vel­mente seria con­si­de­rado um por­tador de Trans­torno Ob­ses­sivo Com­pul­sivo (TOC) e es­qui­zo­frê­nico.

Pro­jeto Fi­la­délfia ou Pro­jeto Arco íris

Foi uma ten­ta­tiva da ma­rinha norte-ame­ri­cana de criar um navio que não po­deria ser de­tec­tado por ra­dares ini­migos. Tesla de­sen­volveu um equi­pa­mento, que foi tes­tado em 22 de julho de 1943, no navio USS El­drigde. Tes­te­mu­nhas do ex­pe­ri­mento con­taram que o navio foi cer­cado de um es­tranho ne­vo­eiro es­ver­deado, ficou in­vi­sível por al­guns ins­tantes e al­guns tri­pu­lantes se quei­xaram de náu­seas.

O equi­pa­mento foi aper­fei­çoado e feito novo teste em 28 de ou­tubro de 1943, junto com o doutor Al­fred Bi­elek, fí­sico da Uni­ver­si­dade de Har­vard. Du­rante esse teste, o navio se tornou in­vi­sível a olho nu. Ao mesmo tempo, uma base naval si­tuada a 600 km de dis­tância afirmou que o navio apa­receu du­rante 15 mi­nutos, tendo de­pois vol­tado a sumir.

Tinha acon­te­cido um te­le­trans­porte aci­dental. O efeito desse evento na tri­pu­lação foi ter­rível, sendo que muitos en­lou­que­ceram e ou­tros ti­veram partes de seu corpo fun­didas com o metal do navio, como re­sul­tado da des­ma­te­ri­a­li­zação. O Alto Co­mando da Ma­rinha can­celou o ex­pe­ri­mento de ime­diato e con­fiscou todo o pro­jeto e ano­ta­ções exis­tentes. A partir daí a exis­tência desse ex­pe­ri­mento foi sis­te­ma­ti­ca­mente ne­gada pelas au­to­ri­dades.

Con­tato com ex­tra­ter­res­tres

Tesla afir­mava ter con­tatos com ex­tra­ter­res­tres através de ondas de rádio, pro­va­vel­mente vindas da Lua. Num destes con­tatos, ele disse que o nosso Sis­tema Solar teria dez e não nove pla­netas, con­forme in­for­mação re­ce­bida e teria sido ad­ver­tido de que as pes­soas da Terra de­ve­riam per­ma­necer fora do es­paço, a não ser após algum acordo di­plo­má­tico. Também teria re­ce­bido in­for­ma­ções sobre o sis­tema de pro­pulsão das naves es­pa­ciais ex­tra­ter­res­tres, coisa que passou a in­ves­tigar.

Naves es­pa­ciais

Tesla afir­mava que sua má­quina era mo­vida por um sis­tema an­ti­gra­vi­ta­ci­onal e que po­deria se mover em ve­lo­ci­dades fan­tás­ticas para qual­quer di­reção. Também po­deria parar de ime­diato, sem ne­ces­si­dade de de­sa­ce­le­ração. Nunca con­se­guiu di­nheiro e sempre foi di­fa­mado por seus ini­migos. Tesla bus­cava uma energia limpa e ba­rata, ao passo que o mundo criava uma in­dús­tria suja e de­pen­dente do carvão e do pe­tróleo.

A pro­pa­ganda contra ele foi ta­manha que até gibis mos­travam his­tó­rias de super-he­róis com­ba­tendo o ci­en­tista louco e seus pro­jetos. Numa dessas his­tó­rias, Su­perman des­trói a sua torre de re­trans­missão e seu la­bo­ra­tório, pois eram pe­ri­gosos à hu­ma­ni­dade.

Após sua morte, em 1943, o FBI ime­di­a­ta­mente con­fiscou todos os seus pro­tó­tipos, pro­jetos, ano­ta­ções e levou-os para sua sede. Também na­quele ano, o Su­premo Tri­bunal dos Es­tados Unidos de­clarou que Tesla era o in­ventor do rádio e não Mar­coni e re­co­nheceu ou­tras in­ven­ções de sua au­toria, como da lâm­pada flu­o­res­cente, a má­quina de ra­di­o­grafia com ima­gens de alta de­fi­nição e ou­tras.

O que sa­bemos é que quanto mais avan­çamos na tec­no­logia, mais apa­rece o nome de Tesla, zom­bando do nosso pobre sis­tema ener­gé­tico. Ni­kola Tesla!

Temos a cer­teza de que de agora em di­ante vamos ouvir falar cada vez mais desse gênio es­que­cido e mal­tra­tado.

http://correiocidadania.com.br/2-uncategorised/12536-nikola-tesla-2

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta