Menino de 5 anos é algemado e detido em aeroporto americano por ser possível “ameaça à segurança nacional”

A criança, que era americana, estava entre os viajantes barrados por todo o país desde que Donald Trump assinou decreto que veta a entrada de cidadãos de sete países com histórico terrorista

Resultado de imagem para revistacrescer

Por Crescer online –  02/02/2017

Reencontro de menino com sua mãe (Foto: CNN)Reencontro de menino com sua mãe (Foto: CNN)

Um menino de 5 anos estava entre as mais de 100 pessoas que foram detidas em aeroportos nos Estados Unidos desde que Donald Trump vetou temporariamente viagens a sete países de maioria muçulmana com histórico terrorista.

A criança foi separada de sua mãe no Aeroporto de Dulles, em Washington DC, onde ela foi considerada uma possível ameaça à segurança nacional do país.

Mais tarde, o menino foi identificado como um cidadão americano, residente em Maryland.

Após o incidente, o secretário de imprensa de Donald Trump, Sean Spicer, declarou: “Seria um equívoco descartar uma pessoa como ameaça apenas por sua idade ou sexo”.

O canal de televisão americano CNN registrou o reencontro emocionante da criança com sua mãe. De acordo com o jornal Mirror, o senador Chris Van Hollen, descreveu o incidente como “ultrajante” e acrescentou que o menino foi detido embora as autoridades soubessem sobre a sua chegada. O senador contou que ele mesmo tentou se certificar de que a criança havia sido libertada, mas qualquer informação sobre o paradeiro dela foi negado pelas autoridades do aeroporto.

Trump assinou na última sexta-feira (27) uma ordem executiva que barra a emissão de vistos e entrada de cidadãos de sete países com histórico terrorista por 120 dias – entre eles Líbia, Sudão, Somália, Síria, Iraque, Iêmen e Irã. O decreto atinge também os refugiados da guerra civil na Síria.

http://revistacrescer.globo.com/noticia/2017/02/crianca-foi-separada-de-sua-mae-e-isolada-por-5-horas.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=compartilharMobile

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*