Gleisi Hoffmann dá a melhor resposta que Janaina Paschoal poderia ouvir

Quantas barbáries já foram justificadas em nome de Deus? Em sua última sustentação oral no impeachment, a advogada Janaina Paschoal abriu mão novamente de argumentos técnicos e jurídicos e invocou divindades. A resposta que ouviu de Gleisi Hoffmann não será digerida tão cedo

 Pragmatismo político

Gleisi Hoffmann Janaina Paschoal impeachment

A advogada de acusação do processo deimpeachment, Janaína Paschoal, atribuiu nesta terça-feira, 30, “a Deus” a composição do processo de impeachment contra Dilma Rousseff.

“Se tem alguém fazendo algum tipo de composição nesse processo, é Deus”, disse a advogada, que abriu mão de utilizar argumentos jurídicos e técnicos em sua fala.

Em sua última sustentação oral antes da votação, a advogada disse que foi Deus quem conferiu coragem para que as pessoas envolvidas levantassem e fizessem “alguma coisa a respeito”.

Os argumentos da advogada deixaram muitos senadores que acompanhavam o discurso perplexos, inclusive parlamentares que já declararam voto favorável ao impedimento da presidente.

A senadora Gleisi Hoffmann reagiu com mais veemência e chamou a atenção para o descabimento e o constrangimento provocado pelas palavras de Janaína.

“O que a acusação fez hoje aqui na tribuna do senado não foi técnico nem jurídico […] Dra. Janaína invocou Deus, mas Deus não tem nada a ver com esse golpe. Invocou os netos da presidente, chorou, fez cena. Era importante que a acusação aqui viesse e expusesse as questões jurídicas […]”, disse Gleisi.

A senadora lembrou ainda que questões e debates políticos no plenário do Senado Federal cabem aos parlamentares, e não aos advogados, que teriam de se ater aos termos técnicos, sobretudo diante de um processo tão importante.

Tanto Miguel Reale Jr. como Janaína Paschoal, advogados da acusação, ouviram cabisbaixos e atordoados as críticas de Gleisi. Assista abaixo

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/08/gleisi-hoffmann-da-a-melhor-resposta-que-janaina-paschoal-poderia-ouvir.html

Be the first to comment

Deixe uma resposta